51 3284-1800

SindisprevRS OF

Crise na Saúde – Trabalhadores da Seguridade responsabilizam Lula, Yeda e Fogaça

COMPARTILHE:

df.jpg 

dv.jpg
Os trabalhadores da seguridade Social realizaram na manhã do dia 07/04 – Dia Mundial da Saúde–, uma concentração em frente ao Hospital Presidente Vargas (HPV), em Porto Alegre. Logo após fizeram um ato público com distribuição de carta aberta, seguido de um abraço simbólico ao HPV em defesa da saúde pública e contra a política de sucateamento dos governos Lula, Yeda e Fogaça para o setor.
À Tarde, foi realizada vigília em frente a Coordenadoria do Ministério da Saúde no edíficio Brasiliano de Moraes, onde fica a Gerência Regional do Ministério da Saúde no RS. A vigília aconteceu paralelamente à reunião da Fenasps em Brasília, no Recursos Humanos do Ministério do Planejamento (MP), para tratar da pauta de reivindicações dos trabalhadores da Seguridade Social. Logo após, os manifestantes negociaram com o substituto da gerente Regional do MS no Estado, um documento que foi enviado ao Ministro da Saúde, solicitando sua intervenção para que os representantes da Fenasps fossem recebidos em audiência. No documento os servidores reafirmavam que somente a Fenasps poderia negociar em nome dos trabalhadores da Seguridade Social.No final da tarde a categoria participou da apresentação da “Sessão Especial de Cinema” no Cine Guion, quando foi apresentado o filme “Sicko – $O$ Saúde – uma aula de humanidade”, do norte americano Michael Moore, que denuncia os planos privados e o péssimo sistema público de saúde americano.

As atividades realizadas pelo Sindisprev-RS no Dia Mundial da Saúde tiveram ampla repercussão na imprensa. O jornal Correio do Povo, por exemplo, abriu na capa da edição 08/03, com a seguinte manchete “União contra o descaso no Dia Mundial da Saúde”, ilustrada com a foto do abraço ao HPV. Confira abaixo a matéria do Correio publicada na pág. 6.

Servidores apontam ‘descaso’Para marcar o Dia Mundial da Saúde, ontem, servidores federais, estaduais e municipais realizaram protesto contra o ‘descaso’ com a saúde e o ‘sucateamento’ dos hospitais e postos de atendimento. A manifestação ocorreu em frente ao Hospital Materno-Infantil Presidente Vargas. A instituição congrega funcionários das três esferas de governo e é referência no atendimento de gestantes e recém-nascidos. Cerca de 50 manifestantes deram um abraço simbólico na instituição. O diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho e Previdência, Joel Soares, reclamou da falta de investimentos, que se reflete ‘no atendimento deficitário à população e na proliferação de epidemias’. O sindicato defende a abertura de concurso público na saúde.

Fonte: Correio do Povo – Porto Alegre

follow:

CONTEÚDOS