51 3284-1800

SindisprevRS OF

Impeachment de Yeda e Feijó, já!

COMPARTILHE:

Na sua maior crise, a tucana Yeda Crusius anunciou, no último sábado (07), a demissão de membros do alto escalão de seu governo. Exonerou o seu chefe da Casa Civil, Cézar Busatto, o secretário de Governo, Delson Martini, e o chefe do escritório de representação do Estado em Brasília, Marcelo Cavalcante. Busatto caiu após o vice-governador Paulo Afonso Feijó ter divulgado conversa em que o então titular da Casa Civil disse que o governo “acaba tendo que fazer concessões importantes aos partidos aliados, os partidos grandes do Estado”. Em seguida, mencionou que o Detran, o Daer, o Banrisul e a CEEE eram usados pelos partidos para se financiar. “Então não podemos deixar eles de fora. Não tenho dúvidas de que o Detran é uma grande fonte de financiamento”, complementa Busatto.
Os trechos foram revelados durante sessão da CPI do Detran, que investiga o desvio de mais de R$ 40 milhões do departamento. O vice acusou Yeda Crusius de ser conivente com os desvios. Cézar Busatto se disse vítima de uma armação, mas não desmentiu o conteúdo da conversa.
A tucana pretende fazer com que todos os secretários coloquem os cargos à disposição e todos os ocupantes de cargos em comissão sejam exonerados. A partir dessa demissão coletiva, os partidos deverão indicar seus nomes para os cargos, mas a última palavra será da governadora.
A atitude que pretende tomar não mostra que Yeda quer acabar com a corrupção em seu governo. Após a divulgação das gravações, ficou claro que a governadora chegou ao poder com uma campanha financiada por empresas públicas gaúchas. Por isso, o afastamento dos secretários não é satisfatório. Os partidos continuarão no poder. Yeda e Feijó têm de deixar seus cargos e, no mínimo, devem ocorrer novas eleições para o governo do Estado imediatamente.
O SINDISPREV-RS exige o impeachment de Yeda Crusius e Paulo Afonso Feijó.
Exigimos a devolução dos valores desviados e ressarcimento dos cofres públicos. Não podemos nos conformar que a corrupção seja uma realidade inerente ao sistema. Este governo não tem mais legitimidade para seguir à frente da política gaúcha. As políticas públicas de Yeda já demonstravam sua ilegitimidade, que se agravou com as denúncias feitas na CPI do Detran. A confiança da governadora nos relatos apresentados mostra que essas declarações correspondem a realidade.
O SINDISPREV-RS ressalta a necessidade do afastamento imediato da governadora, de seu vice e do conjunto do governo.

follow:

CONTEÚDOS