51 3284-1800

SindisprevRS OF

Morre o idealizador do Dia Nacional da Consciência Negra

COMPARTILHE:

Porto Alegre – O movimento negro gaúcho está de luto. Faleceu na quinta-feira, em Porto Alegre, o professor, poeta e pesquisador gaúcho Oliveira Ferreira da Silveira. Ele era conhecido como um dos idealizadores do Dia da Consciência Negra, celebrado em 20 de Novembro. As comemorações se iniciaram em 1971 pelo Grupo Palmares, na capital gaúcha. A data era uma referência para os afrobrasileiros em contraponto ao 13 de Maio, Dia da Abolição da Escravatura. A morte ocorreu no Hospital Ernesto Dornelles, onde o professor estava internado havia 15 dias em decorrência de um câncer.
Gaúcho de Rosário do Sul, Oliveira Silveira era formado em Letras pela Ufrgs, com especialização na língua francesa, e professor aposentado da rede pública de ensino. Seu corpo foi cremado ontem, em cerimônia reservada. As cinzas serão transportadas para sua cidade natal.
Integrante de maior projeção do extinto Grupo Palmares, foi porta-voz da data política para o Brasil, que fazia uma releitura histórica por meio da adoção de Zumbi dos Palmares como herói nacional. Estava em jogo a desconstrução do mito da liberdade concedida, substituído pela combatividade negra durante todo o período de escravização e pela denúncia da ação do racismo, do preconceito e da discriminação racial no Brasil.
O Grupo Palmares, fundado em 20 de julho de 1971, realizou uma série de atividades públicas – durante o regime militar – para evocação de ícones negros como Luiz Gama e José do Patrocínio. A reverência a Zumbi dos Palmares ocorreu no Clube Náutico Marcílio Dias, em Porto Alegre, frequentado por negros. Em meados dos anos 70, a data também começou a ser comemorada em São Paulo e no Rio de Janeiro. Em 1978, o 20 de Novembro foi elevado a Dia da Consciência Negra no país a partir da fundação do Movimento Negro Unificado contra a Discriminação Racial.

Fonte: Correio do Povo

follow:

CONTEÚDOS