51 3284-1800

SindisprevRS OF

FST: SINDISPREV-RS debate a situação da Previdência Social Brasileira

COMPARTILHE:

O primeiro dia de atividades do SINDISPREV-RS no Fórum Social Temático (FST) abordou “A Situação da Previdência Social Brasileira”. O evento ocorreu na sede do sindicato, no centro de Porto Alegre, nesta quarta-feira (25), e teve como palestrantes o diretor e servidor Giuseppe Finco e a advogada Marilinda Fernandes.

“Os governos tiram do povo, que quase nada tem para arcar com uma dívida privada. Os países neoliberais fizeram o seu próprio lucro, e agora querem dividir os prejuízos. No entanto, o povo na Grécia, por exemplo, foi pra rua”, ressaltou a advogada. De acordo com Marilinda, os problemas que temos da Previdência Social brasileira atormentam principalmente são os aposentados. “Não há uma proposta nem da esquerda para recuperar a dignidade dos aposentados nesse país. O fator previdenciário tem agravado muito esta história”, disse.
 
Para o diretor do SINDPREV do Paraná, Hélio de Jesus, os interesses e as manobras têm que estar longe dos olhos do povo. “Boa parte do movimento sindical é correia de transmissão dos governos Lula/Dilma”. Já Giuseppe Finco, diretor do SINDISPREV-RS, lembrou do crime que é o fator previdenciário. “É inaceitável o achatamento monstruoso das aposentadorias no país. Além disso, não há uma política decente para o trabalhador brasileiro. Hoje, 68% dos aposentados recebem apenas um salário mínimo”, ressaltou.
 
O tema Previdência Social não é pauta apenas para sindicatos e entidades ligadas a servidores e especialistas. A juventude também esteve presente no debate. O estudante Jonathan Hirano acredita que a juventude e os trabalhadores têm de encontrar mecanismos concretos para barrar o cerceamento aos direitos do povo. “Vivemos uma situação viciante entre estudo e estágio, e acabamos entrando no mercado de trabalho mais tarde. Como vai ficar essa geração que está sofrendo com políticas para conter a crise, mas que nos retira os direitos?”, questiona.
 
Os palestrantes e debatedores, mediados pela diretora Carmem Fosch, lembraram do massacre recente na desocupação da comunidade de Pinheiro, em São José dos Campos. A repressão policial e do aparato do governador Geraldo Alckmin infringiu qualquer preceito de Direitos Humanos.
 
Nesta quinta-feira (26), às 9h, na sede do SINDISPREV-RS, será realizado o seminário “A Privatização da Saúde: relação público x privado” com a participação de Rodrigo Ávila (Auditoria Cidadã); Maurílio Matos (CFESS e Fórum de Saúde do Rio de Janeiro) e Maria Inês Souza Bravo (Fórum de Saúde do Rio de Janeiro e Frente Nacional contra a Privatização da Saúde).
 
 

Imagens

follow:

CONTEÚDOS