51 3284-1800

SindisprevRS OF

Plenária Nacional da FENASPS mantém estado de greve

COMPARTILHE:

A Plenária Nacional da FENASPS, que aconteceu no último dia 5 de agosto (sábado), deliberou pela manutenção do estado de greve do seguro e da seguridade social, com calendário a ser construído juntamente com as demais categorias do serviço público Federal, e a construção do dia nacional de luta em defesa da previdência, em 16 de agosto, com panfletagens e atividades nos locais de trabalho.

A decisão pela continuidade e ampliação do movimento se justifica pela necessidade de os trabalhadores responderem aos ataques que vêm sendo implementados pelo governo contra os servidores e o serviço público, em especial as últimas medidas, como o PDV, licença não remunerada, e a possibilidade de redução da jornada com redução de salário.

Ao mesmo tempo, para os trabalhadores do INSS, a necessidade de ampliar a mobilização adquire um caráter de maior urgência, tanto para garantir a participação efetiva dos trabalhadores na negociação do novo índice que irá substituir o IMA-GDASS, previsto para vigorar já a partir do próximo ciclo, como pela urgência de se estabelecer medidas efetivas contra riscos decorrentes dos acordos de cooperação técnica e do reconhecimento automático do direito para a carreira do seguro social.

Nesse sentido, a plenária resolveu ampliar o debate e a mobilização pela defesa das atribuições específicas da carreira do seguro social, em face dos acordos de cooperação técnica e do reconhecimento automático do direito, denunciando a precarização dos serviços públicos e ameaça de terceirização dos serviços no INSS.

Com esses motes devem ser elaborados materiais, como cartilhas, vídeos e informativos, para ampliar e subsidiar o debate nos locais de trabalho. O movimento deve ser coordenado por uma comissão permanente de mobilização, a ser formada por representantes indicados pelos Estados.

A tarefa para o período é ampliar o debate e mobilização em todos os locais de trabalho. Esse é o único caminho para que possamos impor ao governo a necessidade de negociações da nossa pauta de reivindicações.

follow:

CONTEÚDOS